Facebook
Twitter
Youtube
Flickr

Notícias

Levantamento mostra situação estável da transmissão de dengue em Itajaí

Município encerrou novembro com médio risco de infestação pelo Aedes aegypti
Data de inclusão: 07/12/2022 08:42

O resultado do Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa), realizado pelo Programa de Controle da Dengue de Itajaí no mês de novembro deste ano, apontou o Município com médio risco de transmissão da dengue, chikungunya e zika vírus. Nenhum bairro da cidade apresentou alto risco neste relatório. O levantamento foi publicado no 10° Boletim Epidemiológico, elaborado pela Secretaria da Saúde (clique aqui e acesse o documento completo).

Seis bairros apresentaram risco médio no LIRAa: Barra do Rio, Cordeiros, São João, São Judas, Salseiros e Espinheiros. Outras 11 localidades apresentaram baixo risco: Cidade Nova, Centro, Cabeçudas, Canhanduba, Dom Bosco, Fazenda, Itaipava, Praia Brava, Ressacada, São Vicente e Vila Operária. Em relação ao ano passado, eram nove bairros considerados de médio risco e oito de baixo risco, o que representa uma redução de 34% nas comunidades consideradas de alto risco.

O LIRAa foi realizado entre os dias 07 e 11 de novembro deste ano em todos os bairros do Município. Foram visitados 3.360 imóveis e inspecionados 5.149 depósitos, sendo que foram encontrados 43 focos positivos do mosquito Aedes aegypti, todos estavam em residências e/ou comércios.

“Essa atividade permite a identificação de áreas com maior proporção e ocorrência de focos do Aedes aegypti, além de criadouros predominantes, indicando o risco de transmissão de doenças. Com o LIRAa, conseguimos adotar estratégias mais efetivas no controle da doença”, afirma o coordenador do Programa de Controle da Dengue, Lucio Vieiras.

Dengue

Além do trabalho desenvolvido com o LIRAa, o Município de Itajaí manteve a queda no número de casos de dengue em 2022. De acordo com o 10° Boletim Epidemiológico, foram registrados 345 casos confirmados da doença de janeiro até o dia 26 de novembro. O dado apresentou uma redução de 6% quando comparados aos números de 2021.

Dentre as confirmações, 271 casos são autóctones (transmissão dentro do município), 30 são importados (transmissão fora do município) e 44 são indeterminados. Os bairros São João (52 casos), Cordeiros (41), Fazenda (37) e Cidade Nova (26) foram os que registraram a maior quantidade de casos autóctones neste ano.

O número de focos positivos também caiu na cidade. Foram registrados 846 focos de dengue em 2022, uma redução de 24% na comparação com o ano anterior, que contabilizou 1.119 focos no mesmo período.

Os focos identificados no município estão espalhados por 17 bairros. Os que possuem maior registro são: Cordeiros (218 focos), Fazenda (86), Cidade Nova (85), Praia Brava (80), São Vicente (74), São João (64), Centro (57) e Barra do Rio (52).

Além dos números da dengue, o boletim epidemiológico também informou que no período de janeiro a novembro de 2022 não houve confirmação de casos positivos de chikungunya e zika vírus em Itajaí. 

Imagens relacionadas

Levantamento mostra situação estável da transmissão de dengue em Itajaí
Levantamento mostra situação estável da transmissão de dengue em Itajaí
Levantamento mostra situação estável da transmissão de dengue em Itajaí
Facebook
Twitter
Youtube
Flickr
Todos os direitos reservados © 2023 - Município de Itajaí