Facebook
Twitter
Youtube
Flickr

Notícias

Danças folclóricas marcam o último dia da 32ª Marejada

Data de inclusão: 14/10/2018 15:03

A maior festa do pescado do Brasil termina hoje (14) e assim como em seus 11 dias de comemoração, esbanjou apresentações musicais, danças e gastronomia típica. Durante o almoço no pavilhão gastronômico, o público pode se deliciar com a gastronomia e se divertir com o grupo de dança Fios de Prata. As senhoras do Centro de múltiplo uso do bairro Costa Cavalcante apresentaram danças folclóricas e exibiram trajes coloridos que representam roupas típicas portuguesas.

> Leia todas as notícias sobre MAREJADA
> Confira a gastronomia da maior festa do pescado do Brasil
> Programação completa da 32ª MAREJADA

O Grupo cultural da terceira idade Fios de Prata é formado por mulheres com idade entre 60 e 86 anos. Ele foi fundado no ano 2000 para criar apresentações voltadas à Marejada e, desde então, trabalha com apresentações de danças de diversas etnias. Para a Marejada deste ano, o grupo preparou algumas coreografias portuguesas adaptadas para a terceira idade.

Lizete Nascimento, 70 anos, faz parte do grupo há cinco e gosta muito de cantar e dançar, motivos que a trouxeram para a Marejada 2018. “Este é o terceiro ano que eu me apresento, para mim é muito importante mantermos as nossas raízes e a Marejada é uma forma de mantermos viva a cultura portuguesa”, destaca a dona de casa.

O Malhão foi uma das coreografias apresentada, uma dança muito tradicional do Norte de Portugal, apresentada em pares e bastante popular em bailes. A Açores, também dançada em pares, retrata a hospitalidade dos açorianos com passos que lembram danças como o pau de fita e as de cantigas de roda.

A Caminho Açoriano se baseou em coreografias circulares, com movimentos em que todos, de mãos dadas, apóiam e auxiliam os companheiros. A Dança dos arcos, conhecida também como Arcos Floridos ou Jardineira, é desenvolvida sempre com pares mulheres que sustentam um arco florido.

A última coreografia apresentada foi a Origem. A Balainha é uma dança de origem europeia, ainda dançada na Ilha da Madeira e foi trazida para o Brasil pelos portugueses.

Maria Alvarina de Morais, a dançarina mais antiga do grupo, com 81 anos, participa do projeto desde a sua fundação. “Eu amo me apresentar na Marejada por ser muito divertido. Mas confesso que o que gosto mais é da gastronomia e do shopp, que não podem faltar”, comentou.

A programação da festa encerra hoje com o show nacional da banda Dazaranha, no palco do Pavilhão Sardinha, às 22h.

Confira aqui a cobertura fotográfica completa de 32ª Marejada.


 

Imagens relacionadas

Danças folclóricas marcam o último dia da 32ª Marejada
Danças folclóricas marcam o último dia da 32ª Marejada
Danças folclóricas marcam o último dia da 32ª Marejada
Danças folclóricas marcam o último dia da 32ª Marejada
Danças folclóricas marcam o último dia da 32ª Marejada
Danças folclóricas marcam o último dia da 32ª Marejada
Danças folclóricas marcam o último dia da 32ª Marejada
Danças folclóricas marcam o último dia da 32ª Marejada
Danças folclóricas marcam o último dia da 32ª Marejada
Danças folclóricas marcam o último dia da 32ª Marejada
Danças folclóricas marcam o último dia da 32ª Marejada
Danças folclóricas marcam o último dia da 32ª Marejada
Danças folclóricas marcam o último dia da 32ª Marejada
Danças folclóricas marcam o último dia da 32ª Marejada
Danças folclóricas marcam o último dia da 32ª Marejada
Facebook
Twitter
Youtube
Flickr
Todos os direitos reservados © 2019 - Município de Itajaí